18/09/2017

As duas roseiras



A vermelha, ela trouxe uma muda do interior e plantou em nosso jardim, em pouco tempo, ela já nos dava lindas flores rubras, com certeza Deus pintou aquelas pétalas, uma por uma e depois ainda borrifou um perfume que perfumista nenhum conseguiria produzir.

Ela tem mão boa pra plantas.

A roseira branca, foi uma vizinha quem deu.

Então ela plantou bem próximo da outra e da mesma forma, num curto espaço de tempo, já podíamos admirar seus botões brancos feito pluma, que já davam o ar da graça.

Quando as pétalas brancas se desprendiam, era como se fosse flocos de neve caindo, formando um alvo tapete, no chão por onde ela passava como se fosse uma princesa.

Se fosse a vez das vermelhas terem completado seu tempo de vida, então era uma chuva de rubis, fazendo festa no mesmo chão.

Se as duas caíssem juntas, formavam uma deslumbrante passarela rósea.

Ela tem mão boa pra plantas.

As plantas iam crescendo mais e mais , dia após dia, já estavam duas árvores colorindo nosso quintal e a nossa vida, de tão grande, coloria também o quintal do vizinho, que sem esforço algum se maravilhava com a beleza das nossas roseiras.

Mas, conforme as plantas cresciam, seu amor por mim diminuía, percebi, quando ela não me chamava mais pra admirar o jardim, quando não repartia comigo a alegria de ver uma nova plantinha nascendo, nem vinha me mostrar uma joaninha na ponta do dedo.

As roseiras crescendo, seu amor minguando e uma tristeza imensa tomando conta de minha alma.

As vezes eu tirava dois botões, um de cada cor e punha na mesa do café, bem do lado que ela senta e depois eu saía pro trabalho, quando a noite, eu chegava, os botões estavam no mesmo lugar.

A minha tristeza aumentava, as roseiras cresciam e o seu amor se perdia nos dias.

Mas, um dia quando parecia que as rosas estavam mais belas que nunca, não pensei duas vezes e cortei as roseiras.

Ela reclamou, me xingou, me chamou de desalmado, mas aceitou e plantou duas mudas de dália no lugar.

Semana passada, abriu a primeira flor.

Ontem de manhã, quando eu tomava o café, ela apareceu com uma joaninha na ponta do dedo, me mostrou e disse....olha como a natureza é linda....e delicadamente pousou o inseto em minha mão, depois me chamou pra ver o primeiro botão do pé de margarida que ela tinha plantado.  Ela tem mão boa pra planta.