Contos do Fachini

Valdir Fachini
Compositor  - Escritor
valdirfachini53@gmail.com

* O conteúdo deste blog é de inteira responsabilidade de seu idealizador

Gostou do conteúdo dessa página?

Compartilhe com seus amigos em sua rede!





21/05/2017

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vedada a inserção de comentários que contenham palavras torpes e que violem a lei e os bons costumes. O AlagoasWeb poderá retirar, sem prévio aviso, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Deixe seu comentário

Ontem eu encontrei o Zé

 
Tem dias que você anda com a cabeça nas nuvens, pensando na morte da bezerra. E ai, de repente você vê alguém, e este alguém se parece com alguém que você conhece daí a pouco aquele alguém que você conhece aparece. Então você fica com receio de cumprimentar porque acha que esse alguém que você conhece pode ser aquele alguém que você não conhece. (Alguém entendeu alguma coisa?).
 
Bem, ontem à tarde me aconteceu este revertério, depois de tomar umas branquinhas e umas loiras num boteco imundo e cheio de moscas, lá perto do mercadão, já com o zoio meio lusco-fusco, eu tava tentado achar meu ponto de ônibus quando vi um cara que era a cara do Zé, se meu braço não tivesse pesado por causa da manguaça, eu teria levantado ele para cumprimentar o sujeito. Ainda bem, porque não era o Zé, mas não cheguei a dar nem 20 cambaleantes passos, olha só quem eu vejo. O Zé.
 
Ai meus braços ficaram leves e a gente se abraçou. Que saudades eu estava do Zé, fazia muito tempo que a gente não se via; amigão do peito.
 
- E então Sr. José Roberto, o que faz da vida? Você sumiu. E a Gloria, sua mulher, como vai? Continua bonitona. Sua filha já deve estar moça? Seu filho já te deu netos?
- Pois é Dida, (ele nunca me chamou de Valdir), a coisa descambou de vez, mas vamos ali no bar tomar uma que a gente conversa
- E ai? Me conta, desabafa, sou todo ouvidos.
- Ta bão, vamos começar pela Glória, minha EX. Você sabe que ela sempre foi manicure, alias uma ótima manicure. De uns tempo pra cá eu estava achando ela meio estranha, fria, nossas transas cheia de fogo foram se apagando, quase virando cinzas. Então um dia ela fez a mala pegou seus panos de bunda e falou: - Estou indo embora, encontrei um outro amor, este sim me faz feliz, me completa. Dois meses depois a gente estava divorciado.
- Minha filha está moça sim, nem empentelhou direito e já esta buchuda de um maconheiro.
- Meu filho que achei que seria um garanhão igual ao pai virou viado, e ainda teve o descaramento de levar o namorado em casa.
- Depois deste monte de desilusões , comecei a dar relaxo no serviço. O patrão me mandou embora faltando dois anos pra me aposentar.
- Poxa Zé, não falta acontecer mais nada, já aconteceu tudo.
- Ai é que ta Dida, aconteceu sim.
- Caramba, aconteceu mais o que?
- Aconteceu que eu ganhei uma bolada na Mega-Sena, to indo amanhã pra Europa sem data pra voltar. Eu quero que o resto se F......

17/05/2017

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vedada a inserção de comentários que contenham palavras torpes e que violem a lei e os bons costumes. O AlagoasWeb poderá retirar, sem prévio aviso, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Deixe seu comentário

Quando

 
Quando eu imaginava que mais nada haveria de acontecer, aconteceu você, igual a um asteroide caindo do infinito a uma velocidade espetacular, você caiu em minha vida, mudando a trajetória do meu destino.
 
Quando o céu dos meus dias se escurecia com negras nuvens, você chegou com seu sorriso iluminando tudo em minha volta.
 
Quando o inverno interminável se apoderava de mim, você me trouxe a primavera.
 
Quando a noite tenebrosa e escura amedrontava meu sono, você foi o amanhecer.
 
Quando a solidão do deserto de minha existência me matava com a sede do amor, veio você feito um oásis.
 
Quando eu caía vertiginosamente rumo ao fundo do poço, você foi a corda e o sarilho que me devolveu à tona.
 
Quando a noite cai, então eu olho as estrelas no céu e fico imaginando, que em cada uma delas vive um anjo igual a você e que Deus manda pra terra, pra que eles ponham fim nas angustias dos corações aflitos, assim como você fez com o meu.
 
Quando o oceano do meu destino me fustigava com ondas bravias, você chegou com seu "sossegai" e a mansidão se fez presente.
 
Quando as flores do meu jardim se faziam mortas, você se fez desabrochar na mais linda de todas.
 
Quando em minha boca ja não existiam mais palavras, você me fez ver que ainda havia duas pequeninas la no fundo do meu coração, que eu não canso de repetir, pra que nunca as esqueça "te amo, te amo".
123