Polícia

16/08/2013 | 07:30 | Cada Minuto

Empresário preso por sonegação matou concorrente

Walmer Almeida está preso sob acusação de desviar R$ 300 milhões

Ilustração Google


Chamado pela Polícia Federal de "maracujá de ouro", o empresário Walmer Almeida da Silva, preso sob acusação de desviar R$ 300 milhões, em impostos sonegados, esconde mais além do passado de pobreza e a demonstração da fortuna em carros de luxo. Ele foi preso acusado de matar, em 13 de agosto de 1994, Antônio Gonçalves Bezerra, na cidade de Vitória de Santo Antão, em Pernambuco.

Naquele ano, Walmer era fornecedor de frutas e verduras para os supermercados de Maceió - mesmo trabalho realizado por Antônio Gonçalves Bezerra. Só que Toinho ou Antônio Guarda, como era conhecido, foi escolhido para distribuir os produtos do Grupo Bompreço em Alagoas. E Walmer não gostou. Ele contratou José Humberto Paulo de Lima para que fossem trazidos três pistoleiros para Vitória do Santo Antão. Objetivo: matar o concorrente. Ele foi assassinado às 22 horas, do dia 13 de agosto de 1994, com vários disparos de arma de fogo.

Walmer negou o crime, mesmo depois de preso. Mas, os depoimentos da viúva, do cunhado e do sócio de Antônio Guarda revelaram detalhes que incluem ameaças de Walmer. E os pistoleiros contratados que passaram a andar com o comerciante após o crime.

Publicidade
Stúdio I - Publicidade

Siga-nos

Publicidade

1

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vedada a inserção de comentários que contenham palavras torpes e que violem a lei e os bons costumes. O AlagoasWeb poderá retirar, sem prévio aviso, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • oposição | 16/08/2013 | 10:42
    ESTAMOS NO ESTADO MAIS POBRE DA FEDERAÇÃO,QUANDO ANDO EM MACEIO VEJO UM GRANDE NÚMERO DE CARRÕES,PENSO LOGO:OU É POLÍTICO OU TRAMBIQUEIRO.CLARO QUE HÁ VARIAS EXCEÇÕES,MAS CREIO QUE O MEU RACIOCINIO TEM FUNDAMENTO.
Deixe seu comentário