Internet


23/11/2016 | 13:45 | Mashable

Novo recurso do WhatsApp vai mudar a reprodução de vídeos


Reprodução


O WhatsApp começou a testar uma função que vai facilitar a reprodução de vídeos dentro do aplicativo. Não será mais necessário fazer download de um vídeo recebido para poder assisti-lo porque o app terá um recurso de streaming, funcionando de forma semelhante ao YouTube.

Com o novo recurso os usuários não precisam esperar o tempo de download para só depois conferir um conteúdo que lhes foi enviado. Era uma reclamação antiga dos usuários, que muitas vezes precisavam baixar o vídeo inteiro só para descobrir que o conteúdo não valia o tempo e os dados gastos com o download.

O recurso está disponível atualmente apenas para dispositivos Android na versão beta do aplicativo, mas não deve demorar muito para que a novidade comece a ser distribuída para outras plataformas.

No entanto, ficam algumas questões sobre o novo recurso: para fazer streaming, o vídeo precisa ficar armazenado em algum servidor. Isso significa que o WhatsApp vai começar a guardar os vídeos trocados entre os usuários, contrariando o que a empresa diz, que não guarda nenhuma mensagem que circula na plataforma? Ou após o usuário terminar de baixar o vídeo pela primeira vez ele é apagado dos servidores e guardado apenas localmente? A lógica do serviço diz que a segunda opção deve ser a correta.

Este é apenas um dos novos recursos que o WhatsApp está agregando ao serviço nos últimos tempos. Recentemente, o aplicativo recebeu também as aguardadas chamadas de vídeo e suporte a GIFs animados, mas também está testando ferramentas inspiradas no Snapchat, com imagens que desaparecem depois de um período pré-determinado.

Publicidade
Câmara de Vereadores

0

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vedada a inserção de comentários que contenham palavras torpes e que violem a lei e os bons costumes. O AlagoasWeb poderá retirar, sem prévio aviso, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Deixe seu comentário