Macabro


21/12/2016 | 15:35 | Notícias ao Minuto

Jardineiro confessa ter enterrado dez pessoas em cemitério clandestino

As buscas por ossadas das vítimas mortas pelo jardineiro Luiz Alves Martins Filho, 49 anos, foram encerradas nesta quarta-feira (21)

Divulgação/Polícia Civil


As buscas por ossadas de dez vítimas de uma rede de exploração sexual de adolescentes e tráfico de drogas foram encerradas, nesta quarta-feira (21), em Danúbio Azul, no Norte da capital de Mato Grosso do Sul. A primeira ossada foi encontrada no dia 17 de novembro deste ano.

Segundo a Polícia Civil, o jardineiro Luiz Alves Martins Filho, 49 anos, preso desde o dia 10 de novembro, foi o responsável por enterrar dez corpos no cemitério clandestino. Ele também confessou a morte de 16 pessoas, que, segundo ele, começou a executá-las há cinco anos.

Após dois meses de escavação, no bairro Jardim Veraneio, em Campo Grande, A Polícia Civil afirmou que o trabalho foi concluído. "Achamos por último as ossadas que teriam maior dificuldade. Lançamos mão de todos os recursos disponíveis para as buscas, tanto que trabalhamos com duas retroescavadeiras simultaneamente", ressaltou o delegado Marcio Shiro Obara, titular da Delegacia de Homicídios (DEH).

Publicidade
Servcon - Contabilidade & Consultoria

0

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vedada a inserção de comentários que contenham palavras torpes e que violem a lei e os bons costumes. O AlagoasWeb poderá retirar, sem prévio aviso, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Deixe seu comentário