Curiosidade


21/12/2016 | 19:45 | Agência Brasil

Pinguim encontrado em apartamento no Rio vai para o Rio Grande do Sul


Polícia Civil do Rio de Janeiro

Pinguim trocou o Rio de Janeiro pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul


O pinguim encontrado em um apartamento do bairro do Humaitá, na zona sul do Rio, no dia 13 último, foi transferido hoje (21) para o centro de reabilitação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Junto com ele, policiais da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA) da Polícia Civil do Rio de Janeiro encontraram dez animais silvestres como papagaios, araras, micos, corujas, tucano, porco espinho e garça.

No mesmo dia, a proprietária do imóvel foi levada à delegacia e autuada pelo crime de manter animais silvestres em cativeiro, sem autorização legal.

De acordo com o delegado titular da DPMA, Roberto Gomes, o pinguim resgatado pelo Núcleo de Proteção aos animais da unidade foi encaminhado por uma companhia aérea, com o apoio da Polícia Federal.

Na sua página do Facebook [www.facebook.com/linhaverdedd], o projeto Linha Verde, criado pelo Disque Denúncia, em parceria com a Secretaria de Estado do Ambiente do Rio, para ajudar quem quer informar casos de crimes contra o Meio Ambiente, disse que a transferência do pinguim do Rio para a UFRGS foi uma ação realizada pelo projeto em conjunto com a Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente,  Centro de Reabilitação de Animais Silvestres, Universidade Estácio, Polícia Federal e uma empresa de tecnologia.

O Linha Verde afirmou ainda que esse tipo de animal sai da Patagônia pesando cerca de 3,5 quilos, em direção ao alto mar, onde procura alimento, “mas, por conta das correntes marítimas, eles acabam se perdendo e chegam ao litoral do estado, debilitados, desidratados e pesando menos de 2 quilos”.

Caça ilegal de animais
Segundo o Linha Verde, neste ano, o projeto recebeu  5.130 denúncias sobre crimes ambientais. Entre elas, mais de 620 foram relativas a crimes de caça ilegal de animais, além de guarda e comércio de animais silvestres. O projeto informou ainda que quase 50% das denúncias são sobre o crime de maus tratos contra animais.

As denúncias ao Linha Verde podem ser feitas pelos telefones 0300 253 1177 (interior, custo de ligação local) ou 2253 1177 (capital). O anonimato é garantido ao denunciante.

O delegado titular da DPMA, Roberto Gomes, disse que a colaboração da sociedade é importante para a polícia identificar casos de crimes ambientais e pediu a quem tenha informações sobre maus-tratos ou sobre a manutenção ilegal de animais silvestres em cativeiro, que entre em contato com a Central de Atendimento ao Cidadão (CAC) da Polícia Civil pelos telefones 2334-8823 e 2334-8835.

A denúncia pode ser feita também pelo chat: cacpcerj.pcivil.rj.gov.br.

Publicidade
Servcon - Contabilidade & Consultoria

0

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vedada a inserção de comentários que contenham palavras torpes e que violem a lei e os bons costumes. O AlagoasWeb poderá retirar, sem prévio aviso, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Deixe seu comentário