31/12/2016 | 18:50 | Assessoria

AlagoasWeb/Arquivo

UPAs realizaram quase 500 mil atendimentos em 2016

Dados são referentes aos registros de janeiro a novembro

As Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) de Alagoas fizeram, de janeiro a novembro deste ano, mais de 476 mil atendimentos nas duas unidades de Maceió e oito do interior do Estado. A assistência aos pacientes aconteceu nas áreas de clínica médica, pediatria, odontologia, ortopedia e telemedicina.
 
De acordo com a gerente de atenção pré-hospitalar da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), Cristina Calado, os números refletem a efetividade e confiança sentida pela população no atendimento prestado nessas unidades. “As UPAs faz um atendimento intermediário entre a atenção primária, média e alta complexidade atuando de forma importante na assistência prestada à população, reduzindo o excesso de demanda em grandes unidades de referência como o Hospital Geral do Estado”, destacou Cristina Calado.
 
As UPAs funcionam 24 horas por dia, todos os dias da semana, e são referência para o atendimento de pessoas com crises de pressão, febre alta, fraturas, cortes, infarto e derrame.
 
As unidades são mantidas com recursos dos governos federal, estadual e municipal. Atualmente, a Sesau arca com 75% do custeio de quatro UPAs – duas de Maceió, além de São Miguel dos Campos e Maragogi – e a Secretaria Municipal de Saúde assume 25%. Quando sair a portaria de habilitação de dessas unidades pelo Ministério da Saúde, a Sesau passará a fazer o repasse de apenas 25% de cada UPA.

De acordo com dados do setor, a UPA que mais realizou atendimentos no Estado foi a do bairro do Trapiche, em Maceió, com mais de 64 mil atendimentos de clínica médica e 12,5 mil na pediatria. Além de 8,5 mil na ortopedia e 1 mil odontológicos.
 
Outro fator de destaque no atendimento nas unidades é a telemedicina, que amplia a resolutividade e o tempo na resposta do paciente. A gerente Cristina Calado explicou que o paciente passa por um eletrocardiograma, que é imediatamente enviado, via internet, para uma central, onde uma equipe de cardiologistas faz a interpretação dos dados, diagnosticando o problema e orientando nas ações que devem ser adotadas.

“É mais uma ferramenta que auxilia na segurança dos pacientes e dos profissionais. As UPAs já se estabeleceram como uma peça fundamental na rede de assistência à saúde de Alagoas e conta com o apoio da gestão estadual para que sua atuação seja cada vez mais eficaz e pautada por princípios técnicos e de humanização no atendimento”, destacou a gerente.
 
O atual governo estadual entregou duas Upas em Maceió – no Trapiche da Barra e Benedito Bentes – além de uma em São Miguel dos Campos e Maragogi.


Leia mais sobre Saúde


Termina hoje prazo para atualizar carteira de vacina de c...

Tempo seco aumenta riscos de bronquiolite

Prefeitura de São Miguel dos Campos divulga programação d...

Pedras nos rins: especialista explica o que são e como tr...

Homem morre com suspeita de gripe H1N1 em Boca da Mata

A saúde do corpo começa pela boca

CRF/AL ingressa com pedido de suspensão de curso a distân...

Seu filho tem problemas respiratórios?

Como lidar com a incontinência urinária?

Olhar o celular antes de dormir faz mal à saúde, diz médico

Publicidade