Saúde


11/01/2017 | 16:40 | Assessoria

Aedes aegypti: Fui picado e agora?

Infectologista seleciona dicas importantes para evitar complicações causadas pelo Aedes aegypti

Ilustração


Ano a ano cresce o número de pessoas infectadas pela Dengue, Zika e Chikungunya no Brasil. Essas arboviroses transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti têm maior incidência na estação mais quente do ano, quando os períodos de chuvas são mais frequentes e, com isso se formam mais criadouros do mosquito. Até setembro de 2016 1.438.624 contraíram o vírus da Dengue; houve 236.287 prováveis casos de Chikungunya e 200.465 possíveis infecções por Zika vírus, de acordo com dados do Ministério da Saúde. A par desses números alarmantes o médico infectologista, Marcelo Neubauer, selecionou 4 informações imprescindíveis para enfrentar o período verão com segurança. Confira:

1 - Na praia, no campo ou na cidade: use repelente e reaplique a cada 3 horas
As arboviroses são transmitidas quase que exclusivamente pela picada dos mosquitos. A melhor maneira de preveni-las é combater os focos do mosquito. Mas para a prevenção das picadas, o repelente ainda é uma das melhores opções.  O especialista ainda alerta que mesmo quem já está com a doença deve continuar utilizando essa proteção, já que existem diferentes tipos de vírus e a pessoa poderia ser picado novamente por outro mosquito infectado.

2- Sente febre, dor no corpo e atrás dos olhos, manchas vermelhas e cefaleia: procure um médico
As três doenças transmitidas pelo Aedes aegypti são potencialmente graves e os sintomas mais severos aparecem em até 12 dias.  A Dengue pode evoluir para formas hemorrágicas. Zika pode trazer sérias consequências neurológicas em bebês e, talvez em adultos e Chikungunya pode evoluir com uma dor articular crônica de forte intensidade. Por isso, se sentir dois ou mais sintomas, é importante procurar orientação médica o quanto antes para tratar e prevenir complicações.

3 - Está com Dengue, Zika ou Chikungunya: hidrate-se muito!
Essa é uma recomendação universal em caso de febre, já que com a elevação da temperatura o corpo perde água por evaporação, como o suor e respiração, por exemplo. Além disso, na Dengue a desidratação pode complicar a evolução da doença.

4- Não tome medicamentos por conta própria
Além dos riscos inerentes dos antinflamatórios na dengue, que podem precipitar quadros hemorrágicos, medicamentos podem mascarar sintomas da doença ou agravá-los. O paciente pode utilizar alguns medicamentos aprovados pelo Ministério da Saúde para o tratamento dos sintomas associados a estas doenças, como por exemplo, o Paracetamol (dor e febre) e a Dexcloferinamina (coceira), porém, é muito importante que o paciente procure e seja acompanhado por um profissional de saúde habilitado. Fique atento!

Publicidade
Associação Comercial Empresarial Miguelense

0

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vedada a inserção de comentários que contenham palavras torpes e que violem a lei e os bons costumes. O AlagoasWeb poderá retirar, sem prévio aviso, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Deixe seu comentário