Saúde


09/03/2017 | 15:45 | Mundo da Boa Forma

Todo Refrigerante Engorda? Tipos e Análise


Reprodução


Você certamente já deve ter ouvido falar que beber refrigerante engorda e faz mal para a saúde do organismo humano. Mas será que são todas as versões da bebida estimulam o ganho de peso ou alguma delas pode ser inocentada de tal acusação?

Para entender se todo tipo de refrigerante engorda mesmo, vamos dar uma olhada em alguns modelos da bebida disponíveis no mercado. Vamos começar a nossa análise pelo refrigerante zero ou diet.

O zero é aquele que pode ser isento de calorias e é reconhecido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) como um sinônimo de refrigerante diet, cuja composição de açúcar deve ser menor que 0,5%.

Um estudo do Centro de Ciências da Saúde da Universidade do Texas, nos Estados Unidos concluiu que beber duas latas ou mais da bebida por dia resultou no aumento de 500% da circunferência da cintura, segundo o site Prevention. O estudo não atribuiu a nenhum ingrediente específico essa “culpa”.

O refrigerante diet engordar pode estar relacionado simplesmente ao efeito de compensação, onde as pessoas acabam comendo mais por já estarem fazendo uma coisa boa, que é não beber calorias. Vamos explorar isso melhor a seguir.

Bebida estimula o apetite
Outra instituição americana, a Universidade John Hopkins, realizou uma análise de dados de mais de 23 mil pessoas e identificou que os indivíduos da lista que estavam acima do peso ou eram obesos tinham o costume de tomar mais refrigerantes diet e zero e comiam mais alimentos sólidos do que os integrantes que estavam em forma.

Acredita-se que exista uma relação entre o comer exagerado e o consumo dos refrigerantes zero/diet. A especialista em Saúde Pública Sara Bleich, uma das autoras do trabalho, explicou que as evidências indicam que os adoçantes presentes no produto desajustam o sistema de recompensa do cérebro, que deixa de ser uma medida confiável em relação à quantidade de calorias que foi consumida e a quantidade que ainda deve ser ingerida.

O que se especula é que o adoçante presente nos refrigerantes zero e diet promove uma reação similar ao do neurotransmissor dopamina, porém, não fornece a energia buscada pelo organismo, fazendo que o cérebro crie a expectativa de receber calorias.

A dopamina está ligada à sensação de prazer e quando algo açucarado é ingerido, seus níveis são altamente elevados, algo que traz uma sensação agradável, acompanhada pelo desejo de comer ainda mais.

Porém, como as calorias não chegam, surge o desejo de comer mais para satisfazer a expectativa criada no organismo, explicou o neurocientista da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, Ivan de Araújo. Para piorar, os adoçantes ainda maximizam a capacidade de armazenamento das calorias provenientes das refeições.

Mas não é só isso: segundo a autora do livro The Sugar Detox (O Detox do Açúcar, tradução livre), Brooke Alpert, os adoçantes artificiais disparam a insulina, que coloca o corpo em um estado de armazenamento de gorduras.

Em defesa dos refrigerantes zero e diet
É preciso registrar também que essa visão que o refrigerante engorda mesmo sendo zero/diet não é unânime. Uma grande corrente de profissionais afirma que esse estudos são observacionais apenas. Ou seja, eles analisam o comportamento de pessoas obesas e não obesas e procuram tirar conclusões.

O refrigerante zero não tem calorias e dessa forma não adiciona gramas ao peso corporal. Embora seja quase um consenso que estes também não são benéficos à saúde de forma geral, é importante dizer que existem muitos profissionais são contra afirmar que nas versões zero/diet o refrigerante engorda.

Refrigerante light
O refrigerante light é aquele que apresenta uma diminuição de 25% da quantidade de um nutriente em relação ao original, geralmente o açúcar. É importante saber que as versões light da bebida são na maioria das vezes praticamente iguais aos refrigerantes zero/diet.

Assim, mesmo que possam receber nomes diferentes, os refrigerantes disponíveis no mercado brasileiro são divididos em duas categorias: as dos tradicionais com açúcar e calorias e os diet/zero/light, com diminuição em seu teor de açúcar e de calorias.

Logo, os mesmos efeitos observados com os refrigerantes diet e zero podem ser aplicados em relação à versão light da bebida.

Refrigerante tradicional
Um dos problemas da versão convencional dos refrigerantes reside nas chamadas calorias vazias. Vamos explicar como isso funciona:

Uma porção com 350 ml de Coca-Cola carrega 149 calorias, a mesma quantidade calórica que traz 350 ml de guaraná Kuat, enquanto 350 ml de Fanta Uva contêm 157,5 calorias e a mesma dose de Fanta Laranja possui 189 calorias.

Todas essas calorias são chamadas de vazias porque não oferecem valor nutricional considerável ao corpo, ao mesmo tempo em que contribuem com o acúmulo de calorias.

Ou seja, ao beber o refrigerante, a pessoa aumenta seu aporte calórico, porém, sem fornecer nutrientes, o que traz a necessidade de consumir outros alimentos para obter esses elementos importantes para o funcionamento do corpo.

Esses outros alimentos a serem consumidos também trazem calorias, o que nos leva a concluir que o refrigerante estimula o aumento de peso por trazer calorias extras e desnecessárias ao corpo.

Para ter uma noção de como isso pode funcionar, a ingestão de duas latas ou copos de refrigerante diariamente pode resultar no aumento de cerca de 11 kg a 16 kg de gordura por ano, valor que varia de acordo com a idade, os hábitos e o tamanho do corpo de cada consumidor.

Mais prejuízo nutricional
Como se não bastasse, a bebida também já foi associada ao empobrecimento dos teores de nutrientes como vitamina A, cálcio e magnésio, que são necessários para ter um processo saudável de perda de peso.

O açúcar
O refrigerante convencional é rico em açúcar – 350 ml de Coca-Cola trazem 37 g de açúcar, enquanto a mesma quantidade de Fanta Laranja tem 38,5 g de açúcar, por exemplo.

Quando existe muito açúcar no organismo, o fígado, que é o órgão que armazena a substância, fica com a sua capacidade excedida. Com isso, o açúcar a mais é transformado em ácidos graxos, que são enviados para a corrente sanguínea.

Da corrente sanguínea, esses compostos seguem para outras partes do corpo e são armazenados em forma de gordura em regiões como a barriga, as mamas, os quadris e o bumbum.

Outras considerações
Especialistas concordam com a tese de que qualquer refrigerante engorda, e quem deseja emagrecer não deve consumir nenhum tipo da bebida ou então ingeri-la com moderação. É importante não cair na cilada de achar que vai perder peso porque consome a bebida light/diet/zero ao mesmo tempo em come outros alimentos calóricos e pouco nutritivos. Lembre-se de que nada substitui a água.

Para quem deseja ou precisa emagrecer, a solução é a reeducação alimentar com uma dieta controlada, equilibrada, nutritiva e saudável e a prática de atividades físicas com frequência para maximizar a queima de calorias.

Publicidade
Associação Comercial Empresarial Miguelense

0

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vedada a inserção de comentários que contenham palavras torpes e que violem a lei e os bons costumes. O AlagoasWeb poderá retirar, sem prévio aviso, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Deixe seu comentário