06/05/2017 | 10:45 | Agências

Reuters

Presa freira que escolhia crianças 'submissas' para padres estupradores

'Sou uma boa pessoa que entregou a vida a Deus', afirma religiosa

A freira Kosaka Kumiko foi acusada de ajudar e encobrir os sacerdotes que abusaram sexualmente, durante anos, de crianças surdas que estavam sob seus cuidados no Instituto Provolo, em Mendoza, na Argentina. “Sou uma boa pessoa que entregou a vida a Deus”, afirmou a religiosa, que ainda vestia o hábito, mas estava algemada e vestia um colete à prova de balas.

A japonesa, que se diz inocente, chegou à Argentina em 2007. Por seis anos ela foi “o diabo com rosto de mulher” na articulação dos estupros, segundo um dos advogados das vítimas.

Uma adolescente revelou ter sido abusada quando tinha apenas 5 anos e disse que Kumiko colocou-lhe uma fralda para esconder o sangramento produzido pelos estupros que era submetida por vários sacerdotes. Segundo o "El País", a freira era responsável por selecionar as crianças mais “submissas” e entregá-las aos padres.

Segundo as declarações, os alunos eram forçados a fazer sexo oral e alguns eram estuprados e espancados.

A mulher ficou foragida por mais de um mês, mas está presa agora.

Os sacerdotes Nicolás Corradi, de 82 anos, e Horacio Corbacho, de 56, acusados de “abuso sexual agravado com acesso carnal e sexo oral” contra pelo menos vinte crianças deficientes auditivas de 10 a 12 anos estão presos desde dezembro do ano passado, quando a denúncia veio à tona.


Leia mais sobre Mundo


Muçulmano mata bispo e desenha cruz com sangue na testa

Passa de 230 número de mortos em atentado na capital da S...

Homem preso desde os 15 anos é executado por injeção letal

Presos se aproveitam de encontro com papa Francisco para ...

Mãe é presa por se recusar a vacinar o filho

Passa de 58 número de mortos e mais de 500 feridos em tir...

Sobe para 50 número de mortos em ataque em Las Vegas; mas...

Homens invadem centro de reabilitação e matam 14 no México

Militares brasileiros começam a retornar do Haiti

Terremoto deixa mais de 45 mortos no México

Publicidade