Macabro


12/05/2017 | 14:45 | Agências

Pai apagava cigarros no rosto de filha mantida refém por dois anos

Jovem de 21 anos foi libertada na última quinta-feira (11) após operação da Polícia Militar

Ilustração


Uma jovem de 21 anos de Mogi das Cruzes (SP) foi libertada na última quinta-feira (11) após passar dois anos em cárcere privado, em poder do próprio pai.

De acordo com informações do G1, a vítima estava trancada em uma casa trancada e sem iluminação, sem ter contato com outras pessoas. Ela disse que passava fome e tem diversas marcas de agressão pelo corpo, incluindo queimaduras de cigarro feitas pelo pai e a orelha esquerda deformada por facada.

A jovem contou que morava com o pai desde 2006, quando a mãe dela morreu, e que não vai à escola desde os 12 anos. O pai, um segurança de 46 anos, foi preso por sequestro e cárcere privado.

O homem afirmou que mantinha a filha refém para que ela não tivesse relações sexuais com estranhos.

A vítima não tem família e permaneceu na delegacia por não ter para onde ir. A jovem parecia confusa e manteve olhar distante durante o interrogatório. Ela deve ser encaminhada a um abrigo.

Uma das testemunhas, uma mulher de 25 anos, conta que o homem sempre foi muito agressivo e ameaçava as pessoas caso a polícia chegasse ao local. O dono do imóvel usado como cativeiro, de 52 anos, confirmou que a menina era mantida em condições desumanas na casa.

O caso foi registrado como sequestro e cárcere privado. O segurança foi preso e encaminhado para a cadeia de Mogi das Cruzes. A Defensoria Pública deve fazer a defesa do suspeito.

A Secretaria Municipal de Assistência Social informou que tomará todas as medidas de proteção à vítima por meio do Centro de Referência Especializado de Assistência Social.

Publicidade
Câmara de Vereadores

0

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vedada a inserção de comentários que contenham palavras torpes e que violem a lei e os bons costumes. O AlagoasWeb poderá retirar, sem prévio aviso, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Deixe seu comentário