19/06/2017 | 09:40 | MPT/AL

Assessoria

MPT notifica 50 empresas a cumprirem cota de aprendizagem em Alagoas

Levantamento mostra que há um potencial para o preenchimento de mais de 24 mil vagas de adolescentes aprendizes em Alagoas, mas apenas 3,8 mil dessas vagas estão preenchidas

O Ministério Público do Trabalho (MPT) em Alagoas expediu 50 notificações destinadas às empresas que possuem as maiores cotas de aprendizagem a serem cumpridas em Alagoas, conforme Lei da Aprendizagem (Lei 10.097/2000). Um levantamento do Ministério do Trabalho (MTE) mostra que Alagoas possui potencial para preencher mais de 24 mil vagas de adolescentes aprendizes – se for considerado o máximo de 15% de aprendizes nas empresas –, mas apenas 3,8 mil dessas vagas estão preenchidas.
 
Durante a audiência pública realizada pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT), na última quarta-feira, 14, com a finalidade de debater a Lei de Aprendizagem, a procuradora do Trabalho Virgínia Ferreira afirmou que a aprendizagem profissional é uma ferramenta essencial para afastar adolescentes do trabalho infantil e promover a inserção de milhares de jovens no mercado de trabalho, legalmente, por meio da capacitação profissional. “As empresas estão cientes da responsabilidade social da formação profissional. Todo empresário sabe o quanto é difícil lidar com a mão de obra sem qualificação. É inquestionável a importância da aprendizagem”, disse Virgínia.
 
Em Alagoas, cerca de 23 mil jovens entre 14 e 17 anos vítimas do trabalho infantil em Alagoas - dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD) -, poderiam estar inseridos no mercado de trabalho legalmente, segundo Virgínia Ferreira. A procuradora ressaltou que o objetivo do MPT e das instituições parceiras é que jovens em situação de vulnerabilidade sejam inseridos, com prioridade, na aprendizagem profissional. “Precisamos sensibilizar as empresas para que passem a olhar para os jovens em situação mais vulnerável, para os que estão em medidas socioeducativas, em abrigos, sem vínculo familiar, que precisam de oportunidades”, disse a procuradora.
 
Em seu discurso, Virgínia falou sobre as iniciativas do Ministério Público do Trabalho para coibir o trabalho infantil e fomentar a aplicação da Lei da Aprendizagem, e enalteceu a atuação da Justiça do Trabalho na luta pela erradicação do trabalho infantil e estímulo à profissionalização desses jovens. “Ficamos felizes em ver a Justiça do Trabalho assumindo um protagonismo junto à sociedade brasileira. O judiciário trabalhista assume o papel de parceiro do MPT e, junto com os Fóruns Nacional e Estadual de Erradicação do Trabalho Infantil, vamos nos articular para buscar soluções para o futuro das crianças e adolescentes”, concluiu a procuradora do MPT.
 
Durante a audiência, 42 empresas e entidades receberam o Certificado de Excelência em reconhecimento à prática de inclusão social e por conta do adequado incentivo à profissionalização de jovens e sua inserção no mercado de trabalho, por meio do cumprimento da Lei de Aprendizagem. A audiência fez parte da 2ª Semana Nacional de Aprendizagem, promovida pelo Programa de Combate ao Trabalho Infantil e de Estímulo à Aprendizagem do Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT) e do Tribunal Superior do Trabalho (TST), em parceria com o Ministério Público do Trabalho (MPT) e o Ministério do Trabalho.
 
Cota de aprendizagem
De acordo com o artigo 429 da CLT, os estabelecimentos de qualquer natureza que mantenham empregados devem ter entre 5%, no mínimo, e 15%, no máximo, de jovens aprendizes em seus estabelecimentos. O cálculo para a contratação dos aprendizes deve ter como base o quadro de funcionários cujas funções necessitem de formação profissional.
 
Para a definição das funções, deve ser considerada a Classificação Brasileira de Ocupações (CBO), elaborada pelo Ministério do Trabalho e Emprego.


Leia mais sobre Justiça


Justiça nega liberdade a homem acusado de esfaquear espos...

Moro dá 48 horas para que Lula apresente recibos originai...

Júri absolve Mirella Granconato pela morte da universitár...

Justiça Itinerante celebra casamento de 350 casais em Maceió

Teotônio Vilela deve encerrar 'lixão' em até 30 dias

Grupo atira tomates em protesto contra Gilmar Mendes em S...

Justiça revoga prisão do prefeito de Maribondo

TJ retoma amanhã julgamento sobre prisão de prefeito de M...

MPT constata condições precárias em empresa onde trabalha...

INSS é obrigado pela justiça a pagar salário maternidade ...

Publicidade