Laudemiro Rodrigues

Cosmopolita Alagoano

A calma irá cessar o desespero

Reprodução

A tendência mundial é a unidade. A união para evitar ainda mais a proliferação do vírus responsável pela COVID-19. Os Estados ao redor do mundo já estão fazendo o recomendável pela Organização Mundial da Saúde, evitando assim a aglomeração de pessoas em eventos e médio e grande porte. Isso é necessário para diminuir o potencial de expansão do coronavírus. Não se surpreenda se seu campeonato esportivo favorito for suspenso, ações assim foram necessárias para o bem da saúde mundial.

Organizações internacionais já colocam a pandemia como prioridade máxima, o que não se deve fazer é deixar o desespero tomar conta da população. São veiculadas notícias dos como Estados Unidos e de países europeus nos quais a população está desesperada zerando os estoques dos supermercados. Não se deve deixar essa postura chegar ao Brasil, sabe-se que esses países são comumente afetados por desastres naturais como tornados, tempestades, furações, etc., ou seja, é costume daquela região o estoque de alimentos e suprimentos. No Brasil, a recomendação é de calma.

O cenário internacional está bem otimista em relação a doença, o governo chinês declarou o fim do pico do surto de coronavírus. Mas o que isso significa? Na prática, o crescimento diário da doença está diminuindo, ou seja, é uma notícia extremamente positiva por se tratar de uma doença que se espalha através do contato e do ar. Se as recomendações da OMS forem seguidas, especialistas afirmam que a normalidade pode ser atingida até junto. A próxima notícia que o mundo espera é o fim do pico da doença em países muito afetados, com Itália e Irã. Até lá, as recomendações seguem, principalmente a de não aglomerações.

error: Conteúdo protegido. Solicite atraves do Whatsapp 82.9311-2225
banner_otica_diniz