Laudemiro Rodrigues

Cosmopolita Alagoano

“Projeto Corona”

Reprodução

A COVID-19 nos trouxe consequência que vão além dos problemas locais e econômicos. Alguns artigos atrás, foi exposto aqui mesmo nesse blog a possibilidade do coronavírus expor a xenofobia contra os países asiáticos que há tempos foram o epicentro da pandemia. Atualmente, infelizmente, a xenofobia expõe cruelmente o lado mais sombrio do ser humano.

Nos Estados Unidos, por exemplo, Donald Trump acabara de fechar de forma completa todas as formas de imigração. Isso afeta principalmente os imigrantes legais, que buscam uma melhor vida na América do Norte. Ainda, consequentemente, os imigrantes ilegais sofrem por efeito ricochete, já que, mesmo enquadrados como “ilegais”, existe uma obrigação legal baseada em acordos internacionais que os protegem. Com esse isolamento, os EUA abrem mão de mostrar mais observância aos imigrantes ilegais.

Por outro lado, a Europa, que em muitos países já passou pela pior fase da doença, trata o “pós” vírus com um extremo investimento, como é o caso da Alemanha, que anunciou o investimento de 3,12 trilhões de reais para a reconstrução do velho continente. Isso só ocorreu após os governantes admitirem que subestimaram o vírus e com isso danos graves foram causados.

Aqui no Brasil o vírus está deixando de ser questão de saúde pública para ser tema político. De certo modo, a covid-19 está expondo as fragilidades de governos em geral, mostrando os pontos de ruptura em situações de crise. Não há como ignorar a questão política gerada pelo coronavírus, porém, a questão de saúde pública é de fundamental importância também para reestruturar a economia do país.

As consequências políticas e econômicas do vírus já estão sendo veiculadas há tempos, porém, as análises devem se manter atuais, seguindo cada movimento dos atores políticos.

error: Conteúdo protegido. Você pode solicitar atraves do Whatsapp 82.9311-2225
banner_otica_diniz