Trote é crime e prejudica Samu Alagoas durante a pandemia

Publicado por Redação

Fonte Assessoria

19 de junho de 2020 às 18:20

Imagens AlagoasWeb/Arquivo

AlagoasWeb/Arquivo
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no print
Compartilhar no telegram

Além do aumento de atendimentos a pacientes com suspeita e que testaram positivo para a Covid-19, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) em Alagoas continua convivendo com os trotes para o telefone 192. Somente nos meses de março, abril e maio deste ano, o serviço recebeu 101.433 ligações, sendo 27.562 trotes, o que representa 27,17% do total.

Mesmo com o alto índice atual de chamadas criminosas, o número de trotes caiu, se comparado com 2019. No mesmo período do ano passado, entre março e maio, o sistema 192 do Samu Alagoas recebeu um total de 128.094 ligações, com o registro de 47.700 trotes. Este ano, foram 20.138 trotes a menos, o que representa uma redução de 42,21%. 

De acordo com Josileide Costa, supervisora do Samu Alagoas, os trotes causam um enorme prejuízo para os serviços de urgência, quando a linha está ocupada com ocorrências falsas. “Enquanto os nossos técnicos auxiliares de regulação médica estão atendendo a esse chamado criminoso, uma pessoa que realmente está precisando de um atendimento vai esperar para receber uma orientação médica ou para que seja liberada uma viatura que poderá salvá-la. Um minuto vale uma vida”, destacou.

Ações de conscientização – Há seis anos o Samu Alagoas vem realizando ações constantes para reduzir os trotes. Em 2014, teve início o projeto de extensão Samu nas Escolas, em parceria com a Universidade Federal de Alagoas (Ufal), para levar conhecimento até crianças e jovens sobre as consequências que esse tipo de ligação pode trazer à sociedade.

Para a supervisora do Samu Alagoas, é por meio dessas ações educativas que a população vai mudando de pensamento e descobrindo que o trote não é uma brincadeira e pode trazer sérias consequências. “Tanto o Samu nas Escolas, como o Conheça o Samu são projetos que levam informação para a comunidade e conscientizam sobre os prejuízos que os trotes podem trazer. Acreditamos que a diminuição dos trotes poderia ter sido maior, mas, como a maioria das pessoas está em casa, sem uma ocupação, e a ligação para o Samu é gratuita, acabam tomando essa atitude de ligar para o 192 sem necessidade”, salientou Josileide Costa.

Trote é crime – De acordo com o artigo 266 do Código Penal Brasileiro, passar trote para serviços de emergência é crime e o infrator pode pegar de um a seis meses de detenção. Ele também pode ser condenado ao pagamento de multa, e pode ter as penalidades duplicadas em situações de calamidade pública, a exemplo de períodos de pandemia, como a do novo coronavírus.

error: Conteúdo protegido. Você pode solicitar atraves do Whatsapp 82.9311-2225
banner_otica_diniz