Samu Aeromédico transporta bebê da Santa Casa de Misericórdia de São Miguel para hospital no Recife; Serviço garante transporte interestadual para alagoanos

Publicado por Redação

Fonte Ascom SAMU/AL

28 de julho de 2020 às 11:09

Imagens SAMU/AL

SAMU/AL
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no print
Compartilhar no telegram

Realizar um transporte rápido, reduzindo o tempo resposta do atendimento, com o propósito de realizar um procedimento de urgência, que pode salvar a vida do paciente. Para essa situação, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) disponibiliza o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) Aeromédico, onde um helicóptero é acionado para fazer um resgate ou a transferência de uma pessoa, como ocorreu no primeiro semestre deste ano, quando oito usuários foram transferidos de Maceió para Recife (PE).

Entre os pacientes que precisaram do Samu Aeromédico, está o pequeno Enzo Daniel Ferreira de Omena, hoje com 2 meses. Ele nasceu com uma cardiopatia congênita e precisou ser levado para a capital pernambucana quando tinha somente 15 dias de vida. Transportado da Santa Casa de Misericórdia de São Miguel dos Campos, o bebê foi levado pelo helicóptero até o Real Hospital Português, em Recife.

Segundo Rosicleide Ferreira, 29 anos, mãe do pequeno Enzo, a doença foi descoberta um dia depois do nascimento. “Quando descobri que ele iria precisar passar por uma cirurgia, me veio logo uma angústia no peito, ainda mais quando me disseram que seria preciso fazer o procedimento em outro Estado. Mas fiquei muito feliz em saber que o Enzo iria de helicóptero para Recife, porque os médicos já tinham me avisado que o transporte terrestre não poderia ser feito pela condição de saúde do meu pequeno. Depois de dois dias que chegamos em Pernambuco, meu filho fez a cirurgia e ainda ficamos mais 10 dias no Real Hospital Português. No dia 23 de junho voltamos para a nossa casa, na cidade de Roteiro”, disse a mãe, emocionada.

Rosicleide aproveitou o momento para agradecer os socorristas que fizeram o atendimento ao pequeno Enzo. “Meu filho está se recuperando bem, precisou somente de uma cirurgia no coração para corrigir o probleminha que existia. Preciso agradecer a Deus e também a todos que fazem parte do Samu Aeromédico por terem tratado o Enzo tão bem”, agradeceu.

Décimo ano – O Samu Aeromédico de Alagoas completou 10 anos de atividades em fevereiro desse ano. Entre os meses de janeiro e junho, as equipes realizaram 156 ocorrências, no decorrer de uma década de socorros prestados, foram 2.022 atendimentos realizados.

Para Josileide Costa, supervisora do Samu Alagoas, inúmeras vidas foram salvas graças ao empenho, eficiência e a agilidade dos socorristas aeromédicos nas mais de 2 mil ocorrências feitas nesses 10 anos. “Sempre buscamos reduzir o nosso tempo resposta nos atendimentos e, quanto mais rápido uma equipe do Samu chegar até uma pessoa que esteja precisando de socorro, mais chances existem dessa vida ser salva, reduzindo ao máximo as sequelas. É isso que acontece quando liberamos o Samu Aeromédico, garantindo que o paciente seja encaminhado para um hospital de referência”, destacou a supervisora.

Alagoas é o único do Nordeste a possuir uma aeronave exclusiva para realizar esse tipo de atendimento. As equipes do Samu do Rio Grande do Norte e do Ceará compartilham as aeronaves com os profissionais da Secretaria de Segurança Pública. No estado de Pernambuco, os socorristas utilizam as aeronaves da Polícia Militar e da Polícia Rodoviária Federal. No Piauí, o Samu local possui uma aeronave para realizar somente transferências entre hospitais, sem a possibilidade de fazer resgates.

Tripulação – A tripulação do Samu Aeromédico integra o quadro da Chefia Aérea Especial da Segurança Pública (CAESP) e faz constantes atendimentos nas rodovias que cortam o Estado, salvando vítimas de colisões automobilísticas. Eles também atuam na realização de transferência de pacientes graves de unidades de saúde do interior de Alagoas para capital, como em casos de Acidente Vascular Cerebral (AVC) ou de Infarto Agudo do Miocárdio (IAM).

A equipe é composta por um piloto da Secretaria da Segurança Pública (SSP), um tripulante operacional do Corpo de Bombeiros Militar de Alagoas (CBMAL), além de um médico e enfermeiro do Samu Alagoas. Somente em 2020, o Samu Aeromédico fez oito viagens para Pernambuco, levando pacientes que necessitavam de procedimentos cirúrgicos de urgência na cidade de Recife, a exemplo de vítimas de cardiopatia congênita ou que necessitavam fazer transplante de órgãos.

error: Conteúdo protegido. Você pode solicitar atraves do Whatsapp 82.9311-2225
banner_otica_diniz