Raqueline da Silva Santos

EscreveNordeste

Augusto dos Anjos, ‘O Poeta da Morte’

Ebiografia

Augusto dos Anjos, um poeta que marcou a literatura brasileira e que nos deixou no auge dos seus 30 anos. Apesar de ter tido uma passagem breve (1884- 1914) o autor marcou a poesia cientificista. Paraibano, nascido no engenho de Pau d’Arco, atual município de Sapé, conheceu o período da decadência dos engenhos de cana-de-açúcar.

Assim, como toda pessoa de família economicamente favorável no Nordeste estudou no Liceu Paraibano, também estudou Direito na Escola de Recife (era um dos polos culturais brasileiros mais importantes que se organizou em torno da crença na superioridade da ciência no nordeste brasileiro – SILVA, 2010, p.7) e atuou como professor no Rio de Janeiro e em Minas Gerais.

O autor teve apenas uma obra publicada, conhecida como o EU, que contém 56 poemas. Para Silva (2010, p.41; 45) o poeta era “singular, diferente, provocador e considerado como um poeta do futuro, que trabalhou os sentidos dos homens modernos.

Em Minas Gerais na cidade de Leopoldina há o Museu Espaço dos Anjos, que é dedicado ao autor e está situado na casa em que o poeta viveu.

Aprecie abaixo um poema de Augusto dos Anjos

Psicologia de um Vencido

Eu, filho do carbono e do amoníaco,
Monstro de escuridão e rutilância,
Sofro, desde a epigênese da infância,
A influência má dos signos do zodíaco.

Profundissimamente hipocondríaco,
Este ambiente me causa repugnância…
Sobe-me à boca uma ânsia análoga à ânsia
Que se escapa da boca de um cardíaco.

Já o verme — este operário das ruínas —
Que o sangue podre das carnificinas
Come, e à vida em geral declara guerra,

Anda a espreitar meus olhos para roê-los,
E há-de deixar-me apenas os cabelos,
Na frialdade inorgânica da terra!

As poesias de Augusto dos Anjos têm características marcantes, apresenta um forte pessimismo e destaca a morte. Além do que, tem muito rigor na forma de suas poesias com muitas metáforas.

Estudar é tão revolucionário, que muitas vezes somos impedidos(as) de termos acesso a uma boa educação. É por isso que o @escrevenordeste quer incentivar vocês a conhecerem um pouco do legado de autoras e autores do Nordeste, para você se inspirar e ir além (Raqueline da S. Santos).
FONTES:
SILVA, Anaídes Maria da. O Eu de Augusto dos Anjos (1912): algumas relações entre literatura e ciência. Dissertação de Mestrado. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – UC-SP, 2010.
error: Conteúdo protegido. Você pode solicitar atraves do Whatsapp 82.9311-2225
banner_otica_diniz