Coronavirus pode sim ter surgido em laboratório; o que isso significa?

fonte

Redação /

Site de Curiosidades

imagem

Reuters/DR

data - hora

01 de junho de 2021 às 7:52

fonte

Redação /

Site de Curiosidades

imagem

Reuters/DR

data - hora

01 de junho de 2021 às 7:52

Reuters/DR

Os primeiros casos de Coronavirus (Covid-19) a serem notificados aconteceram em Wuhan, na China. De lá para ca, muitas especulações já surgiram, tanto cientifica, quando politica e midiaticamente, sobre a origem do vírus. Teria sido o vírus criado por processos naturais de evolução ou resultado de ação humana? Na época, no final de 2019, essa discussão sofreu uma grande politização, o que prejudicou o debate a nível científico.

Nessa última semana, no entanto, o assunto voltou a ser alvo de debate porque o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, pediu à Inteligência do país que fizesse um novo relatório sobre a origem do vírus. Isso porque alguns cientistas estão rebatendo o primeiro relatório, que chegou a concluir que o vírus realmente teria sofrido uma evolução natural.

Esse primeiro relatório, de acordo com os críticos a ele, teria sido desenvolvido sobre informações falsas emitidas pelo Governo Chinês. Não existem, no entanto, evidências que sustentem a versão de que o vírus teria sido criado em laboratório. O que existem, segundo a inteligência dos Estados Unidos, seriam evidências de que o primeiro relatório não foi criterioso. Essas evidências, no entanto, não foram reveladas.

Em março, a OMS encerrou uma investigação sobre a origem do vírus sem conclusões definitivas ou relevantes. O assunto teria se encerrado pela falta de evidências, mas os Estados Unidos estão empenhados em reanalisar os dados. Recentemente também um grupo de cientistas pediu, em carta publicada através de uma revista científica renomada, a Science, que o governo Chinês permitisse maior acesso ao laboratório de Wuhan.

O problema político

A grande dificuldade de se discutir sobre o assunto é entender que a discussão, acima de tudo, pelo menos nesse momento, é científica e não política. Durante o governo Trump, esse mesmo assunto foi usado para sustentar teorias da conspiração e fomentar ataques à China, levando inclusive ao aumento de crimes de ódio contra pessoas asiáticas nos Estados Unidos.

O atropelamento político de um assunto que é, antes de tudo, científico, prejudicou a evolução do debate. China e Estados Unidos se enfrentam há anos pelo título de maior economia Global, então acusações sem evidências realmente não poderiam passar de teorias conspiratórias. É aí que a discussão parece ter ganhado uma nova roupagem, já que Biden, ao contrário de Trump, não esta acusando abertamente a China de ter criado uma arma biológica, mas defendendo a necessidade de investigar sobre o laboratório de Wuhan.

O que é o laboratório de Wuhan?

Ao contrário das várias teorias que já circulam, o laboratório de Wuhan é apenas um laboratório onde cientistas estudam, dentre outras coisas, o Coronavírus (nesse sentido, como a “família” coronavírus), que inclui a covid-19. A questão que tem sido levantada é: a covid-19 realmente evoluiu naturalmente ou surgiu de alguma falha de segurança, erro humano ou, em um longo extremo, teria sido criada intencionalmente?

A China nega que o vírus tenha tido qualquer origem que não natural, mas falha em divulgar informações. A discussão agora parece estar caminhando numa direção científica, o que seria necessário até porque não é apenas o laboratório de Wuhan que manipula vírus vivos, bactérias e outros microorganismos – outros incontáveis laboratórios ao redor do mundo também conduzem pesquisas com esse tipo de manipulação.

Apesar da possibilidade da covid-19 ter surgido em laboratório, a maioria dos cientistas acredita que a tese mais provável seja a de “transbordamento animal” – isto é, quando o vírus esgota a população animal e avança contra os seres humanos. No caso da covid-19, esse animal provavelmente foi o morcego.

error: Conteúdo protegido. Você pode solicitar atraves do Whatsapp 82.9311-2225
banner_otica_diniz